Plantas medicinais na horta do apartamento

Quem quer se livrar daquela dorzinha de cabeça chata ou aquele embrulho no estômago sem buscar, primeiramente, aos remédios convencionais, geralmente recorre ao uso das plantas medicinais. E para quem pensa em ter uma horta dentro de casa ou pretende cultivá-la em vasos, mas ainda tem dúvidas se vai valer a pena, a afirmação é simples e direta: “Vale a pena cultivar as plantas medicinais. Além de fazerem muito bem à saúde e estarem livres de agrotóxicos, se tornam uma terapia para as pessoas”.plantar ervas medicinais em apartamentos

A frase é do engenheiro-agrônomo especialista em fertilidade do solo e nutrição das plantas Marcelo de Aquino. Ele garante que sim, é possível o cultivo de plantas medicinais em vasos ou hortas, em pequenos espaços dentro de casas e apartamentos. Entre as plantas medicinais mais cultivadas estão o alecrim, o manjericão, a erva-cidreira, a hortelã, a babosa, o boldo, a carqueja, a arruda e o capim-limão. A alternativa, porém, exige cuidados, principalmente para a adaptação das plantas ao espaço menor.

Aquino revela que é preciso observar com cuidado o lugar onde devem ser plantadas as ervas medicinais. “O local deve ter boa incidência de sol, água em abundância e disponível; o solo deve ser fértil, com terra bem fofa. É preciso que seja feita uma limpeza da área, revolvendo o solo e retirando todas as plantas indesejáveis. Os canteiros, no caso de quem tiver espaço para cultivar uma horta, devem ter de 1 a 1,2 metro de largura e 2 de altura. A terra das sementeiras deve ser bem fofa e as sementes, cobertas com areia bem fina e peneirada”, explica o especialista, ressaltando que é preciso observar também as características, necessidades e exigências de cada planta.

A adubação é outro passo importante citado pelo especialista, para garantir resistência maior às plantas. “A adubação equilibrada proporcionará plantas resistentes a pragas e doenças. As plantas medicinais devem ser cultivadas de maneira natural, sem agrotóxicos. Na correção do solo, não deve ser usado nenhum tipo de fertilizante químico, pois esses produtos podem ser absorvidos pelas plantas e causar prejuízos à saúde das pessoas. O combate às pragas também deve ser de forma natural. Uma forma de fazer isso é através da consorciação de culturas”, disse Aquino.

A colheita deve ser feita pela manhã, logo que secar o orvalho das plantas. Regar a planta com cuidado é importante para seu desenvolvimento. “É sempre melhor colher as plantas medicinais em dias amenos, sem chuva, no período de estio, em horário de sol fraco e suave. Todos os dias é necessário regar a planta, o que não quer dizer ‘encharcar’, molhar além do normal. Tem que molhar um pouco apenas. Isso fará com que a planta se desenvolva. Livres de agrotóxicos, as plantas são saudáveis e ideais para o consumo, porque a pessoa está produzindo uma erva medicinal sem pesticida ou agrotóxicos”, informou Marcelo de Aquino.

As plantas medicinais cultivadas em casa podem ser utilizadas na cozinha e na saúde. Cada uma delas possui virtudes variadas e o seu uso pode acontecer de diferentes formas. Entre  as ervas, algumas são mais comuns e populares entre quem faz questão de reservar um espaço em casa ou no apartamento para o cultivo. A erva-cidreira, por exemplo, é muito utilizada em sucos, chás e doces, por seu aroma e sabor refrescante. É também muito utilizada no tratamento de problemas digestivos, de sono, ansiedade e nervosismo.

O manjericão já é mais utilizado na cozinha, em saladas, temperos, molhos e sopas, e há quem faça o uso em sucos. Após o plantio, seu tempo de colheita é de três meses.

ervas medicinais em apartamentoO alecrim, além de usado na culinária, possui um óleo que geralmente é utilizado contra tosse, dor de cabeça, úlceras e até mesmo contra o Alzheimer.

Outra planta aromática, a hortelã, é usada em chás, sucos, doces, pratos salgados, molhos para salada, molhos quentes e assados. O óleo essencial rico em mentol possui propriedades digestivas e espasmolíticas, sendo útil nas cólicas abdominais, flatulência, colite, mau hálito e síndrome do intestino irritável.

Já o boldo possui propriedades digestivas, e por isso é uma das plantas medicinais mais usadas para dor de barriga, problemas de digestão, flatulência, espasmos e úlceras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *