Blog

Inspeção Predial: o que é, quem faz e roteiro NBR 16747!

Compreenda a importância da inspeção predial e seus detalhes técnicos.

A inspeção predial deve ser feita periodicamente a fim de avaliar as estruturas de um edifício.

Sua importância está relacionada não só ao prédio em si, mas também à segurança de todos os seus moradores e funcionários.

Veja, hoje, detalhes sobre como fazer a inspeção predial do seu condomínio, conheça o laudo de inspeção, as normas técnicas que orientam a execução do laudo – NBR 16747 – e, ainda, um roteiro para inspeção.

Conte com os nossos serviços de Gestão e Manutenção para Condomínios. Fale com nossa equipe!

 

Inspeção predial: o que é?

A inspeção predial é uma avaliação rigorosa de uma edificação, das suas características, do seu desempenho, das funcionalidades a ela agregadas, de sua vida útil e, ainda, das formas que ela é utilizada e operacionalizada.

Publicada em 2020, a NBR 16747 é o principal documento que trata dessa atividade, lançando quais são as regras para a análise e, então, para atestar a segurança e o estado de conservação de um edifício.

Fazer uma análise técnica, apurada e responsável de uma edificação pode reduzir substancialmente os custos com a manutenção, pois é possível, através dela, identificar os pontos nevrálgicos das estruturas.

 

Qual a diferença de vistoria e inspeção?

As principais diferenças entre a inspeção e a vistoria predial são as seguintes:

  • Inspeção predial: É necessário que, além de fazer a enumeração dos problemas estruturais, dos problemas relacionados à operação ou em relação ao uso dos equipamentos de um prédio, também se façam os apontamentos referentes ao risco que cada problema, em particular, envolve e propor uma solução para ele.
  • Vistoria predial: A vistoria, em si, busca observar, enumerar e, por fim, levar ao conhecimento amplo quais são os problemas que podem ser constatados em um prédio, em suas áreas comuns e em seus equipamentos. Podemos compreender, portanto, a vistoria com uma etapa inicial da inspeção predial.

 

Quem pode fazer?

quem-pode-fazer-a-inspecao-predialA inspeção predial pode ser realizada por aqueles profissionais que compreendem as interações entre os mais diversos aparatos que constituem uma edificação, bem como de que forma eles se comportam através do tempo e da forma de utilização.

Assim, aqueles mais capacitados para realizar a tarefa no seu condomínio são o arquiteto ou o engenheiro civil, que podem ser contratados individualmente ou em uma empresa que possa prestar esse tipo de trabalho.

 

Roteiro para inspeção predial de acordo com a NBR 16747

A inspeção, de acordo com a NBR 16747, de 2020, possui um passo a passo que pode simplificar a tomada de dados para a construção de um bom relatório para o síndico.

Veja:

  1. Realize o levantamento da documentação do condomínio e dos dados da construção dele;
  2. Faça uma análise dos dados das instalações e construções;
  3. Realize o processo de diagnóstico para observar todas as características da edificação;
  4. Conduza as vistorias de cada área de instalação do condomínio e analise também a complexidade da construção;
  5. Classifique, das mais urgentes para as menos urgentes, quais são as irregularidades que foram observadas e constatadas;
  6. Faça a lista de recomendações e ações que são necessárias para a preservação da edificação;
  7. Crie também um relatório em que sejam priorizadas todas as recomendações técnicas necessárias para a reparação do prédio e de suas funções;
  8. Oriente de qual forma deve ser feita a avaliação para o uso do prédio, bem como para a sua manutenção;
  9. Emita o LTIP.

 

Quais elementos e equipamentos são verificados?

Devem ser analisados no momento da inspeção:

Elementos aparentes das estruturas prediais

Devem ser analisadas as estruturas de um prédio tais como vigas, pilares, colunas e demais estruturas de sustentação de um edifício.

Revestimentos internos e externos

A análise dos revestimentos permite a observação de possíveis infiltrações, rachaduras ou outros eventos que possam comprometer a integridade do prédio, tanto aqueles que são internos quanto os que são externos, incluindo a fachada.

Sistemas hidráulicos

Devem ser inspecionados as tubulações de água, gás, caixas de gordura, caixa de água, esgoto sanitário, sistemas de reutilização de água ou de armazenamento.

 

Documentos analisados na vistoria

documentos-analisados-na-vistoria-predialVeja, a seguir, quais são os documentos que devem ser separados para o momento da inspeção:

Documentos administrativos

São os documentos que devem estar guardados pelo síndico ou pela administradora, tais como alvarás, regimento interno, IPTU, vistoria do Corpo de Bombeiros, últimos certificados das inspeções de sistemas de segurança, bem como contas de energia, água e gás.

Documentos técnicos

São aqueles que tratam especificamente das instalações do edifício, tais como projetos estruturais, projeto de execução, instalação dos recursos hídricos, de gás, de ar-condicionado, de equipamentos de segurança, de elevadores e tudo aquilo que diga respeito às inclusões que foram feitas no prédio.

Documentos de certificação de manutenção

São todos os certificados e laudos dos procedimentos de manutenção, substituição ou de inspeção já realizados, que devem ser entregues ao analista tão logo seja feito o contrato de prestação de serviço, a fim de que ele fique a par de todas as intervenções já realizadas no prédio.

Laudo de inspeção predial

O laudo de inspeção entregue ao síndico ao fim da análise feita pelo engenheiro civil ou arquiteto permite a elaboração de um plano de trabalho que determine, através das prioridades lançadas no documento, uma ordenação para que os reparos sejam realizados no prédio.

Embora não haja um tempo para que sejam feitas as obras reparadoras, é essencial observar a legislação de cada Estado ou Município a fim de identificar a periodicidade da exigência de um novo laudo.

Assim, é ideal que as obras reparadoras sejam feitas no intervalo compreendido entre a emissão de um laudo e outro.

 

Problemas que a falta de inspeção pode causar em um condomínio

Um dos problemas mais comuns em relação à falta da inspeção em prédios está relacionado à imprevisibilidade de uma situação que possa comprometer uma estrutura de um edifício.

Quando percebida ainda em seu início, é possível solucioná-la sem comprometer muito o dia a dia do prédio, bem como economizar recursos financeiros importantes para o condomínio.

No entanto, com o problema já instaurado, pode ser necessário realocar recursos mais importantes, resultando, assim, também em insegurança para os moradores.

Portanto, na dúvida, a melhor solução é a prevenção.

Leia também: Entenda a importância da manutenção predial, como e quando ela deverá ser realizada para garantir a segurança de todos os moradores

 

Conclusão

A inspeção predial assegura que as instalações e estruturas de um prédio estão adequadas para que seus moradores e seus funcionários possam permanecer no ambiente em segurança, além de preservar o patrimônio ali criado.

Deve ser feita regularmente, pois também é uma forma de dirimir despesas com obras emergenciais de alto valor, uma vez que pode detectar problemas estruturais ainda em sua fase de instalação e não em progressão.

Direito Condominial: Entenda Tudo sobre Regras de Condomínio!

O Direito Condominial é uma esfera de atuação jurídica que tem por objetivo defender os interesses de um condomínio.

Junto a um advogado, um condomínio pode ter mais segurança na condução dos trabalhos e na defesa dos seus interesses.

Conheça em quais demandas um advogado pode auxiliar em seu dia a dia, enquanto síndico, seja em seus interesses enquanto morador, intermediando sua relação com o condomínio.

Conheça nossas soluções e consultorias para o seu condomínio e solicite um orçamento hoje mesmo!

Direito Condominial: o que é?

Direito Condominial é um segmento e uma especialidade do Direito que trata dos procedimentos jurídicos que ocorrem em um condomínio.

O advogado especializado em Direito Condominial irá tratar dos imbróglios gerados entre os moradores e o condomínio, entre os funcionários do condomínio e a instituição condominial e, ainda, entre as imobiliárias e demais empresas que possam prestar serviços no interior do condomínio.

Através do Direito Condominial podemos criar as regras que determinam a utilização de um condomínio, bem como aferir legalidade às decisões tomadas quando as regras são desrespeitadas.

Tais condutas jurídicas têm embasamento legal no Código Civil e também nas demais legislações condominiais.

O que diz o Código Civil sobre condomínio?

Antes de ser tratado pelo Código Civil de 2002, o condomínio era tratado pela Lei 4.591, de 1964.

Com o Código Civil, estabeleceu-se que tudo aquilo que faz parte do processo decisório de um condomínio, de forma particular e exclusiva, deve estar previsto tanto na Convenção Condominial e no Regimento Interno.

Quando a esses dois documentos, é importante frisar que são eles que tratam dos assuntos que mais se destacam em um condomínio, tais como as normas de conduta e as regras de convivência entre os moradores e condôminos, bem como todas as sanções aplicadas em cada tipo de infração.

Assim, os dois documentos devem prever todo o regramento de um condomínio, desde que esteja em consonância com o Código Civil.

Convenção de condomínio e regimento interno: diferenças

Quando observamos esses dois documentos, podemos notar que existem algumas diferenças importantes entre a finalidade de cada um.

Enquanto a convenção de condomínio é o documento em que todas as questões descritivas sobre as áreas privadas e comuns do condomínio devem ser tratadas, o regimento interno trata da convivência entre os moradores.

Além dessa diferença, a convenção de condomínio também é o documento responsável por determinar a forma de rateio das custas de manutenção do condomínio, bem como as regras para uma assembleia ser feita.

Ambos documentos são essenciais para o condomínio e é papel do advogado especialista zelar por uma boa construção desses documentos, a fim de que não sejam contrários às legislações vigentes.

Principais casos em que pode ser aplicado o Direito Condominial

Existem algumas situações-chave em que a atuação de um advogado especialista em Direito Condominial:

  • Execução de cobranças extrajudiciais em nome do condomínio, bem como prestando consultoria jurídica sempre que necessário à organização;
  • Acompanhamento das inadimplências que possam ocorrer, bem como na redação e no envio de notificações de cobranças, bem como no gerenciamento dos pagamentos que devem ser realizados;
  • Celebração de acordos entre moradores e o condomínio, entre funcionários e o condomínio, bem como entre prestadores de serviço que possam vir a ser contratados pelo condomínio;
  • Acompanhamento de assembleias e demais reuniões de condomínio em que se discutam a convenção condominial, regimento interno e, ainda, demais assuntos que possam estar relacionados com assuntos jurídicos ou que reflitam qualquer outra necessidade da organização;
  • Mediação jurídica entre moradores e condomínio, em que se celebrem conciliações, negociações e demais relações que possam causar dano jurídico para o condomínio ou para as outras partes;
  • Em ações judiciais, o advogado especialista pode atuar na defesa dos interesses do condomínio, criando petições, manifestações, defesa e proposituras.

Principais situações que os síndicos devem conhecer

Antes de lançar a sua candidatura para o cargo de síndico, é importante que, para além das boas intenções para melhorar o condomínio, você também tenha alguns conhecimentos que podem nortear as suas ações frente ao seu cargo.

O síndico, além de realizar a administração, a fiscalização e a busca pelo bem comum do condomínio também deve compreender um tanto do aparato legal que determina seu campo de ação frente ao condomínio, bem como seus impedimentos legais.

É igualmente importante observar, de acordo com o Código Civil, quais são as competências dos moradores, bem como seus direitos e deveres.

As demais atribuições do síndico estão dispostas no artigo de número 1.348 do Código Civil, enquanto os deveres dos moradores estão dispostos no artigo de número 1.336, também do Código Civil.

É preciso contratar um advogado para cuidar do direito de condominial?

Não há um momento ideal para que se contrate um advogado especialista em Direito Condominial, contudo, geralmente essa contratação é feita no momento em que um síndico assume o condomínio, caso ele já não disponha de um advogado.

O acompanhamento jurídico é essencial para que a propriedade do condomínio seja preservada, bem como da vizinhança.

Além disso, o trabalho desse advogado especialista pode prevenir o condomínio de algumas ações judiciais que possam, antes, ser mediadas em uma atitude conciliatória.

Muitas vezes, sem o devido suporte de uma boa administradora de condomínios e sem o devido suporte de um advogado, a organização pode ficar exposta a problemas judiciais facilmente resolvidos antes de um processo de fato.

Quando é feita a contratação de um advogado com esse tipo de especialização, pode-se contar com um suporte para o esclarecimento do aparato legal que sustenta essas relações.

Leia também: Entenda o que é e como fazer uma excelente administração de condomínios

Conclusão

A presença de um advogado especialista em Direito Condominial associado ao seu condomínio é essencial para uma boa condução das relações entre todos os moradores, síndico e condomínio em si.

Além do suporte jurídico necessário para uma boa condução dos trabalhos do síndico, o advogado também tem um importante trabalho no suporte e mediação dos conflitos judiciais que o condomínio possa sofrer, preservando seus interesses.

Síndico Profissional: o que é, quanto ganha e como se tornar um?

Você já pensou em se lançar na carreira de síndico profissional? Saiba como essa profissão vem auxiliando inúmeros condomínios por todo o Brasil!

Com o Código Civil Brasileiro de 2002 tornou reconhecida a profissão de síndico, bem como se tornou legal a modalidade de contratação deste tipo em condomínios brasileiros.

Ao assumir como legal a profissão de síndico, a legislação brasileira abriu um precedente importante, que torna a responsabilidade de um síndico como um marco para a sua profissionalização.

Anteriormente, o síndico era aquele condômino (que é proprietário do imóvel), eleito por uma assembleia e que, por ser morador, tomava conhecimento de tudo aquilo que ocorria em um condomínio.

Atualmente, no entanto, o síndico não é mais, somente, aquela figura que habita uma unidade de um condomínio.

Como se permite que o síndico não seja morador do condomínio em si, se estabelece uma distância que permite observar com mais cautela os acontecimentos condominiais e, assim, tomar decisões melhor embasadas.

Saiba, agora, tudo sobre essa nova profissão!

Conheça os serviços terceirizados da Roche para o seu condomínio!

Síndico profissional: o que é e o que faz?

Um síndico profissional é o responsável por fazer a gestão e a administração de um condomínio, dos seus recursos, dos seus espaços, investimentos e benfeitorias.

Para que seja contratado, o cargo deve ser avaliado por uma assembleia de condomínio, sem que nenhum morador ou condômino deseje ocupar o cargo.

É importante frisar que, tal como uma eleição de síndico condômino ou morador, o tempo de gestão desse tipo de síndico é de dois anos.

Caso seja aprovado novamente por assembleia, o contrato pode ser renovado pelo mesmo período de tempo do anterior.

O papel do síndico é diferente, então?

Não existem grandes diferenças em relação ao trabalho de um síndico morador e de um síndico profissional.

Na prática, no entanto, o que muda é o fato de que um síndico com profissionalização tem maior distanciamento e, por conta disso, maior imparcialidade na hora de observar as demandas, necessidades e reclamações dos condôminos e moradores.

Assim, como a marca do seu trabalho é a isenção, é possível contar com um profissional muito mais aberto ao diálogo e às decisões pertinentes ao dia a dia dos moradores e condôminos.

Embora o contrato com esse tipo de síndico possa ser mais caro do que a manutenção do pro labore de um síndico morador, é importante frisar que o condomínio pode ter ganhos significativos com a primeira opção.

Além do síndico qualificado contar com o distanciamento do dia a dia do condomínio e, assim, poder contar com um prospecto decisório muito mais objetivo, ele também tem a seu favor a experiência.

Dessa forma, a contratação pode se tornar muito mais vantajosa e se sobrepor ao custo mais elevado.

O que é preciso para ser um síndico profissional?

É preciso, para além de ter uma grande habilidade em mediação de conflitos, ter algumas outras características essenciais para que a sua atuação profissional seja bastante satisfatória:

  • Conhecimento jurídico das principais ferramentas norteadoras do trabalho de um síndico;
  • Ter uma ampla carta de contatos para solucionar rapidamente e com os melhores preços os problemas que possam surgir no dia a dia do condomínio;
  • Estudar com afinco questões administrativas, contábeis, de recursos humanos e de finanças e investimentos;
  • Saber se comunicar de forma assertiva, pontual e, sobretudo, acompanhar o trabalho que foi demandado;
  • Sistemas organizacionais que permitem acompanhar vários condomínios ao mesmo tempo, bem como disciplina para poder tocar um trabalho que é totalmente independente.

Não há, necessariamente, um curso profissionalizante que te forme como síndico profissional.

Quem, no entanto, certifica um bom trabalho é, justamente, o mercado, que opta por algumas contratações e não por outras. Portanto, invista em sua formação, busque desenvolver conhecimentos em cursos e busque também por certificações.

Dessa forma, você ficará melhor preparado para o seu trabalho e poderá, também, aumentar sua carteira de clientes.

Qual a importância do síndico especialista em um condomínio?

Como tratamos, o síndico contratado pelo condomínio, tem um papel fundamental para acompanhar as demandas do condomínio e solucioná-las de forma mais rápida, buscando sempre os melhores fornecedores e prestadores de serviço.

Além dessa celeridade, como a dedicação de um síndico contratado pelo condomínio deve ser muito maior do que a dedicação de um síndico morador, que tem outras demandas em sua vida, é possível contar com mais atenção e maior acompanhamento.

Por fim, o síndico contratado é muito importante quando o assunto é a solução de conflitos, justamente por não estar “contaminado” pelo dia a dia do condomínio, como seria um morador.

Quanto é o salário de um síndico profissional?

O salário de um síndico profissional costuma ser muito atraente, mas depende do contrato feito, do tamanho do condomínio e, também, de cada profissional.

É possível encontrar no mercado síndicos contratados que costumam faturar até quatro mil reais para gerenciar um condomínio de 40 unidades.

No entanto, esse valor pode variar conforme o número de unidades, conforme o padrão do condomínio e, até mesmo, conforme as benfeitorias que ali se encontram e que, assim, determinam também o padrão.

Síndico profissional ou morador: existem diferenças?

Agora, vamos tratar das diferenças entre um e outro, na prática:

SÍNDICO PROFISSIONAL SÍNDICO MORADOR
Mais imparcialidade nas decisões necessárias para administrar o condomínio Maior familiaridade com os condôminos e seus perfis
Mais celeridade na hora de resolver problemas comuns do condomínio Mais atenção às demandas do condomínio, que surgem no dia a dia
Melhor controle financeiro do condomínio, bem como melhor aproveitamento dos recursos, como em investimentos Pode aplicar melhor os recursos financeiros, por perceber as necessidades conforme sua vivência
Acesso rápido a inúmeros prestadores de serviço Contratação de prestadores conforme suas relações de confiança

Razões para ter um síndico capacitado na gestão de um condomínio

Veja, agora, quais são as principais razões para ter um síndico contratado pelo condomínio:

Maior distanciamento do dia a dia do condomínio

Por não estar presente no condomínio diariamente, o síndico contratado tem maior neutralidade na hora de tomar decisões.

Mais celeridade na hora de resolver problemas do condomínio

Além do síndico com qualificação ter essa como a sua ocupação, ele conta com uma gama de prestadores de serviço à sua disposição, enquanto o síndico morador teria de buscá-los no mercado sempre que necessário.

Melhor administração financeira do condomínio

O síndico contratado pelo condomínio é uma pessoa que, por definição, é preparada para lidar com as mais diversas situações financeiras que possam surgir, enquanto o síndico morador pode ter de buscar outros suportes para definir de melhor forma, por exemplo, os investimentos do condomínio.

Maior treinamento para lidar com as relações entre condôminos

À medida que adquire experiência, o síndico contratado pelo condomínio pode se tornar um melhor mediador de conflitos, melhorando, assim, também as assembleias e o dia a dia dos moradores.

Leia também: Saiba o que um síndico deve e não fazer em um condomínio

Conclusão

O síndico contratado pelo condomínio, ou profissional, diferente de um morador é um profissional dedicado a cuidar de um condomínio de forma mais distante e, assim, mais imparcial.

Munido de conhecimentos financeiros, contábeis, de recursos humanos e administrativos, pode fazer com que as contas do condomínio sejam melhor administradas e investidas, tornando, também, economicamente viável o seu trabalho.

Embora possa ter um custo mais elevado do que o trabalho de um síndico morador, as vantagens da contratação podem fazer com que seja muito importante considerar este tipo de trabalho em seu condomínio!

Portaria para Condomínio: O que é e Principais Vantagens!

O serviço de portaria para condomínio leva mais segurança e mais comodidade para moradores, além de valorizar o empreendimento.

O serviço de portaria é considerado por muitos como decisivo na hora de comprar ou alugar um imóvel.

Certamente, em condomínios que contam com o serviço os moradores se sentem mais seguros, visto que há sempre uma pessoa para controlar entradas e saídas, além de sempre estar em uma posição privilegiada em relação à movimentação ao redor de nosso lar.

Por conta disso, prédios e condomínios com portaria são mais valorizados e mais procurados, seja por quem deseja alugar ou comprar.

Atualmente existem opções inteligentes em relação à contratação deste serviço, que pode ser terceirizada e até mesmo remota.

Conte com as Soluções em Portaria e Vigia da Roche. Fale conosco!

Como funciona a terceirização de uma Portaria para Condomínio?

como-funciona-a-terceirizacao-de-uma-portaria-para-condominioA terceirização de portaria para condomínios é uma ótima alternativa para condomínios que desejem diminuir sua folha de pagamento.

Como os trabalhadores da portaria são terceirizados, todos os encargos trabalhistas e demais adicionais são pagos pela empresa contratada pelo condomínio.

Dessa forma, é possível sempre contar com um porteiro para cada turno, bem como com folguistas sem precisar se preocupar com novas contratações e processos seletivos.

Além disso, todas as questões de avaliação de desempenho e demais encargos são feitas sempre pela empresa contratada.

Assim, é possível pagar por um contrato, apenas, sem ter vínculo empregatício com o trabalhador.

Quais riscos o Condomínio pode ter ao não contratar esse serviço

Quando se trata de um serviço de portaria para condomínio terceirizado, é preciso se atentar às vantagens que este tipo de contratação proporciona em relação aos riscos que a contratação direta proporciona.

Veja mais:

Ações Trabalhistas

Quando se trata da proteção do condomínio e de sua instituição, é importante destacar que a terceirização da portaria para condomínio acaba por oferecer uma grande vantagem em relação à contratação direta.

Em casos de processos trabalhistas movidos pelos empregados, quem responde à ação é a empresa que contratou o trabalhador e não o condomínio para o qual a empresa prestou serviços.

Assim, temos maior proteção jurídica para o condomínio.

Falta de Treinamento

A falta de treinamento do profissional contratado diretamente pelo condomínio pode figurar como um problema para muitos síndicos.

Quando se contrata uma empresa terceirizada, é possível cobrar dela a formação de um bom profissional, exigindo, assim, maior nível de eficiência dos serviços prestados.

Afastamento de Saúde

Quando um funcionário do condomínio se afasta por um problema de saúde, temos de arcar com os gastos trabalhistas e, ainda, com a contratação de um profissional preparado para assumir o cargo até que seu colega possa retornar.

Este tipo de ação acaba por consumir recursos financeiros importantes do condomínio, além de também fazer com que o síndico faça inúmeras entrevistas até encontrar um profissional qualificado.

Otimização do Tempo

Com a contratação de um serviço de portaria temos maior otimização do tempo do síndico, uma vez que se dispensa o acompanhamento de um processo seletivo a fim de se contratar um novo porteiro.

Assim, o tempo aplicado a essa atividade pode ser melhor utilizado em outras esferas que exijam, igualmente, sua atenção.

Cuidados ao contratar uma Empresa de Portaria para Condomínio

Antes de bater o martelo e contratar um serviço de portaria para o seu condomínio, fique atento à algumas dicas:

Verifique se a Empresa possui problemas com a Justiça do Trabalho

Análise, antes de fazer uma contratação, se a empresa que você deseja contratar não é ré em processos da esfera da Justiça do Trabalho.

Este pode ser um indicador a se levar em conta sobre a forma como ela trata seus funcionários e, certamente, sobre como eles trabalham e são tratados pela empresa, interferindo na qualidade dos seus serviços.

Verifique se a Empresa não tem outras Ações Judiciais

Verificar a existência de outras ações judiciais também é um passo importante a se dar no momento de fazer a contratação de uma empresa terceirizada para a portaria do seu condomínio.

Esse passo é essencial para verificar se a empresa é ilibada, se cumpre com seus contratos e presta seus serviços de acordo com aquilo que foi contratado.

Leve o Contrato para o seu advogado de confiança antes de fazer a Contratação

É indispensável que seu advogado de confiança – ou aquele que já presta serviços para o condomínio – analise cuidadosamente o contrato de prestação de serviços que a empresa contratada levar até você.

Neste documento estão descritos os direitos que as partes passam a adquirir no momento da assinatura do contrato e é necessário verificá-lo a fim de assegurar juridicamente o condomínio.

Afinal, como fazer uma boa contratação de uma Empresa de terceirização para Portaria de Condomínio?

como-fazer-uma-boa-contratacao-de-uma-empresa-de-terceirizacao-para-portaria-de-condominioVerifique, sempre, quais são os serviços que a empresa contratada pode prestar e se o contrato assegura-os.

Essa, sem dúvida, é a melhor forma de garantir sucesso na contratação, a comodidade dos moradores e, sobretudo, a segurança deles.

É importante sempre verificar quais são os antecedentes da empresa a ser contratada, bem como entrar em contato com outros condomínios que utilizam seus serviços sempre que possível.

Pontos que devem constar no Contrato com a Empresa de Terceirização

Sempre observe se o contrato firmado entre o condomínio e a empresa contratada para a prestação de serviços inclui:

  • Junto da Nota Fiscal e boleto de pagamento dos serviços prestados serão enviados, todos os meses, os comprovantes de recolhimento dos tributos trabalhistas, bem como holerites e demais comprovantes de pagamento dos funcionários alocados no condomínio;
  • O compromisso de enviar, a cada seis meses, certidões negativas de débitos do condomínio junto à terceirizada;
  • Que todos os anos serão enviados para o condomínio o comprovante de entrega do IRPF da terceirizada.

Leia também: Saiba o que é e como funciona uma Portaria Virtual

Conclusão

A contratação de uma empresa terceirizada para cuidar da portaria do seu condomínio pode ser um grande passo para enxugar as contas mensais.

No entanto, essa contratação – como qualquer outra -, deve ser cercada de cuidados e atenção, sobretudo em relação a processos da Justiça do Trabalho movidos contra a terceirizada.

Esse tipo de processo nos traz um bom indicativo de como os funcionários da empresa são tratados, bem como se há incentivo para que realizem um bom trabalho.

Assim, certamente, seu condomínio fica prevenido de intercorrências em relação à empresa e, certamente, desfruta de maior comodidade e segurança junto aos seus moradores.

Quer ficar por dentro de tudo do mundo dos condomínios? Então, aproveite mais estes conteúdos aqui:

Instalação de equipamentos de segurança: 7 principais itens

Manutenção de elevadores: saiba como garantir a segurança

Manutenção predial: serviços e periodicidade recomendada

Dedetização: O que é, Como Funciona e Como Contratar? [GUIA]

Basta o calor chegar para a dedetização se tornar uma necessidade para condomínios de áreas urbanas.

Quando as temperaturas aumentam podemos notar maior incidência no aparecimento de pequenos insetos em nossas casas.

São aranhas, baratas, insetos voadores, como besouros e pernilongos que começam a aparecer e, não raro, mas nas áreas comuns, ratos.

O serviço de dedetização de cupins, de ratos e carrapatos acaba por traçar uma barreira importante entre esses animais, realizando um controle de pragas necessário para a manutenção da saúde de todos.

Em algumas cidades, como o Rio de Janeiro, esse tipo de serviço é tão importante que até já se tornou lei.

Confira, agora, quais os cuidados na hora de contratar esse serviço para o seu condomínio!

A Roche conta com serviços de manutenção predial, jardinagem e muitos outros. Solicite um orçamento!

 

Para que serve a dedetização?

para-que-serve-a-dedetizacaoO serviço de eliminação de pragas é a forma mais eficiente de se fazer o controle de pragas de um condomínio.

Através de uma análise preliminar, os técnicos definem qual o melhor tipo de inseticida a ser utilizado, de acordo com os insetos que causam a infestação.

A partir disso, uma data é agendada para a aplicação dos produtos inseticidas e, depois, para a análise do resultado.

Assim, a dedetização serve para que possamos eliminar os insetos que causam infestações em condomínios e residências e deve ser feita periodicamente a fim de controlar o problema.

 

Em quais casos deve-se solicitar o serviço?

O serviço de dedetização deve ser solicitado a uma empresa capacitada e certificada sempre que pragas surgirem em seu condomínio.

Infestações de insetos podem até parecer comuns, mas, na verdade, não são e podem representar grande risco à saúde de moradores e animais.

Portanto, sempre que você notar a presença de insetos voadores, baratas, escorpiões e até mesmo ratos, é o momento de contratar o serviço.

 

Quanto tempo dura o efeito de uma dedetização?

A sugestão da maior parte das empresas que fazem este tipo de serviço é de que ele seja reaplicado a cada três meses, pelo menos, nas áreas comuns de um condomínio.

Este é o tempo em que os produtos costumam durar com as limpezas que também devem ser frequentes nas áreas comuns.

Justamente por conta disso, as empresas que fazem o controle de pragas costumam oferecer contratos em que o serviço, uma vez contratado, é reaplicado ciclicamente.

Assim, evita-se não só a nova proliferação de insetos como, sobretudo, gastos excedentes e variáveis do mercado.

 

Quais cuidados deve-se ter ao fazer o controle de pragas residencial

É necessário sempre verificar com a empresa que fará o controle das pragas quais são os produtos que serão aplicados, bem como o potencial contaminante deles.

De acordo com as informações prestadas pela empresa, pode ser necessário deixar a casa por alguns dias, junto de suas plantas e animais domésticos.

Para que o serviço seja mais eficiente, pode ser necessário instalar também algumas barreiras físicas nos lugares por onde os insetos possam entrar.

Da mesma forma que impede a entrada deles, também impede a saída.

Além disso, a limpeza correta do ambiente também pode fazer com que a aplicação dos produtos dedetizadores seja ainda mais eficiente e duradoura.

 

Quais pragas a dedetização combate

Veja, agora, quais são as pragas mais comuns que podem ser combatidas com a aplicação de produtos dedetizantes!

 

Baratas

dedetizacao-de-baratasAs baratas são bichinhos que podem representar o horror e o pânico para muitas pessoas e que, felizmente, podem ser facilmente combatidas com produtos dedetizantes.

Existem dois tipos de baratas e as mais comuns em condomínios são as menores, que quase não representam um grande risco para a nossa saúde.

No entanto, mesmo que pequenos, esses bichinhos carregam consigo diversos contaminantes que podem afetar com gravidade a nossa saúde, sobretudo porque estão quase sempre em meio ao lixo.

Na hora de combater as baratas, as empresas que trabalham com produtos dedetizantes costumam aplicar uma espécie de gel, que as baratas capturam e levam para o ninho, causando a morte de todas.

Assim, se faz o controle deste tipo de praga e se controla também a infestação.

 

Cupim

Só quem já teve um móvel contaminado por cupim sabe o quanto é terrível quando o verão chega e eles passam a voar pela casa.

Este tipo de cupim, de madeira seca, podem ser facilmente controlados com produtos para a aplicação diretamente.

No entanto, há um outro tipo de cupim potencialmente perigoso, que é chamado de cupim de solo.

Quando ocorre uma infestação por esse tipo de inseto, pode haver também complicações estruturais para as edificações, uma vez que se formam veios do inseto que consomem cimento e tijolos.

 

Insetos voadores

Pernilongos e outros insetos, como aquele responsável pela dengue, podem ser controlados com inseticidas aplicados por empresas que prestam o serviço de dedetização.

Em forma de nuvem, são aplicados produtos em áreas mais altas, em que, uma vez que os insetos pousam, acabam por ficar contaminados e morrem.

 

Dicas para contratar uma empresa de dedetização para o seu condomínio

Confira, agora, quais são os cuidados que devemos ter ao contratar uma empresa para fazer o controle de pragas do nosso condomínio!

 

Observe quais são as garantias que a empresa pode oferecer

Normalmente, todas as empresas que prestam esse tipo de aplicação de químicos dedetizantes oferecem uma garantia pelo tempo sem novas infestações.

Na hora de contratar a empresa que irá fazer esse tipo de serviço, verifique também quais são as garantias que podem ser ofertadas nesse sentido, sobretudo em relação ao tempo que as empresas prometem, como o de duração dos efeitos dos químicos.

 

Verifique quais são os produtos que serão aplicados e se eles são seguros para os pets do condomínio

Uma das maiores preocupações entre os tutores de pets em relação à aplicação de produtos dedetizantes é o potencial contaminante e tóxico que podem representar para a saúde dos bichinhos.

Para que seus condôminos fiquem tranquilos, busque orientação da prestadora de serviços para repassar aos tutores.

Leia também: Veja dicas para evitar escorpiões em seu condomínio

 

Conclusão

O serviço de controle de pragas é essencial para condomínios que sofrem com infestações causadas por insetos como baratas, cupins e outros animais, como escorpiões e ratos.

Quando contratado este tipo de serviço, alguns produtos dedetizantes são aplicados nas áreas comuns do condomínio e, de forma geral, não costumam oferecer riscos para os seres humanos e pets.

No entanto, é preciso sempre analisar cuidadosamente a empresa que fará a prestação dos serviços, sobretudo para que elas garantam a eficácia e a durabilidade da aplicação dos inseticidas.

Quer ficar por dentro de tudo do mundo dos condomínios? Então, aproveite mais estes conteúdos aqui:

Instalação de equipamentos de segurança: 7 principais itens

Manutenção de elevadores: saiba como garantir a segurança

Manutenção predial: serviços e periodicidade recomendada